Filosofia Kemética

No antigo modelo egípcio, os filósofos não são apenas analistas críticos, mentes eruditas capazes de ler textos antigos. Eles também devem estar preparados para pedir conselhos e procurar os caminhos certos. Além disso, eles devem superar seu próprio desempenho conduzindo a investigação de causas subjacentes à realidade sempre de maneira detalhada e precisa. Mas além disso, o filósofo deve buscar a sabedoria, isto é, o que é verdadeiro, correto e útil para a comunidade. Leia mais… »

Uma origem africana da filosofia

A filosofia começa 2800 anos a.C. com pessoas de pele negra do Vale do Nilo, ou seja, 2200 anos antes do aparecimento de Tales de Mileto, considerado o primeiro filósofo ocidental. Nossos ancestrais 30.000 anos atrás separavam ocre vermelho de ferro em uma caverna da Suazilândia. Eles deveriam ter alguma ideia sobre aquilo que estavam fazendo. Devia haver alguma reflexão, algum processo pelo qual os anciões determinavam o que era para ser utilizado, para o que e em qual ocasião. Dessa forma, antes mesmo da escrita, temos evidências de que os africanos estavam engajados em discussões significativas sobre a natureza de seu ambiente. Leia mais… »

As principais temáticas tratadas por Cheikh Anta Diop

A criação, por Cheikh Anta Diop, do Laboratório de datação para o radiocarbono que ele dirigiu até seu desaparecimento, é significativa
de toda a importância que ele dava ao “enraizamento das Ciências na África”. Leia mais… »

Cheikh Anta Diop

Cheikh Anta Diop prosseguiu suas pesquisas em pré-história (a origem do homem e suas migrações) em egiptologia, em linguística africana, em antropologia, sobre a contribuição da África para a civilização. No âmbito da UNESCO, então dirigida por Ahmadou Mahtar M’ Bow, ele contribui de maneira decisiva para a redação da História Geral da África com inúmeros outros eminentes historiadores africanos a exemplo de Théophile Obenga, Sékéné Mody Cissoko, Djibril Tamsir Niane, Joseph Ki Zerbo, etc. É neste quadro, em particular, e atendendo ao pedido de Cheikh Anta Diop que a UNESCO organizou, em 1974, no Cairo, um colóquio consagrado ao antigo Egito. Leia mais… »

O que é Sekhem, SEICHIM e Reiki

Sekhem é uma palavra egípcia (kemética) que significa PODER ou ENERGIA CÓSMICA, equivalendo a Prana, Chi, Ki, ou seja, a energia presente em todos os pontos do universo, a energia da vida que nos circunda e penetra. Seichim ( pronuncia-se Seiquim ) é a designação para a energia viva de luz de um antigo sistema de energização Egípcio. Reiki e Seichim são sistemas isolados de energização que podem ser aplicados em conjunto ou separadamente. 

Sekhem – SEICHIM – Reiki ( SSR ) é um conjunto que integra em um só esses tres sistemas de uso dessas energias multidimensionais. Um sistema único para o equilíbrio e harmonia dos corpos físico, emocional, mental e espiritual. Esse sistema expande a capacidade de captar mais nergia de luz e amor e aumentar a energia vital. Leia mais… »

Reiki Kemetico

O Reiki Kemético, ou seja, numa linguagem aberta, o Yoga Afrikano. Eu chamo o Reiki kemético de uma prática de auto conhecimento feita pelos antigos Faraós Áfrikanos (os reais Faraônicos, da civilização egípcia Áfrikana kemet). O Reiki Kemético serve para promover a saúde e bem-estar espiritual de qualquer ser pensante desse vasto universo. Na base Leia mais… »

Os 7 valores fundamentais da prática original do Yoga Kemética

O sistema YSM do Kemetic Yoga é baseado na filosofia e nas práticas originais e autênticas dos sábios do antigo Kemet. Este foi o primeiro sistema de Kemetic Yoga desenvolvido nos Estados Unidos durante a década de 1970, usando métodos primários de pesquisa para traduzir o MDW NTR (textos hieroglíficos antigos), experimentando os movimentos e posturas observados em artefatos Keméticos antigos para aperfeiçoar as práticas (comumente chamados asanas) e interpretação dos antigos símbolos keméticos para demonstrar sua conexão com os conceitos de Yoga que evoluíram mais tarde na Índia. Leia mais… »

Infográfico: 4 Formas de Meditação Kemética para a espiritualidade africana

Na Ciência Espiritual Kemética, existem 4 formas de meditação que usamos para desenvolver a espiritualidade africana . As 4 formas são: Leia mais… »

O que é Maat?

Encontramos em Maat ou Maa, a herança espiritual e ética do Antigo Kemet, um projeto  profundo de Humanitude (Ubuntu) de uma constante procura de harmonia e recuperação de equilíbrio  dentro de uma concepção inclusiva do mundo em que o passado, o presente e o futuro são inseparáveis.  Nesta orientação cosmogónica Kemética que abarca o universo inteiro, existe uma relação íntima entre todos os seres humanos, vivos, por nascer, ou já desaparecidos em harmonia com o cosmos seguindo os ciclos da vida e os ritmos circulares da natureza: a Vida antes do nascimento e a Vida depois da morte. Leia mais… »

Por que Kemet é tão importante para a espiritualidade da diáspora africana?

Conteúdo exclusivo para assinantes Afrokut Tenha acesso completo a todo conteúdo do Afrokut e ganhe Mimos Especiais! Além dos artigos originais do Afrokut, os assinantes terão acesso aos artigos inéditos, também às outras áreas: livros digitais, textos acadêmicos, infográficos entre outras novidades, como os “Mimos Especiais“. Sim, é isso mesmo que você leu! Os assinantes também Leia mais… »

O que são os Xamãs Keméticos?

Os  Xamãs Keméticos são geralmente indivíduos que usam a filosofia kemética como o núcleo de sua tradição espiritual e a combinam com influências de outros caminhos espirituais (geralmente crenças e práticas africanas tradicionais) porque Kemet é reconhecido como o berço da espiritualidade tradicional africana. Leia mais… »

O que são Reconstrucionistas keméticos?

O tema central na maioria das práticas dos Reconstrucionistas keméticos é a trindade: Asar (Osíris),  Aset (Isis) e Hru (Horus), que são vistos como a primeira e original trindade divina. De fato, a maioria dos Reconstrucionistas keméticos vê Hru (Heru, Hrw ou Hórus em grego) como o protótipo ou avatar original de Jesus que nasceu de nascimento virginal, identificado por uma estrela no leste, adornada por três reis. Leia mais… »