Filosofia Kemética

No antigo modelo egípcio, os filósofos não são apenas analistas críticos, mentes eruditas capazes de ler textos antigos. Eles também devem estar preparados para pedir conselhos e procurar os caminhos certos. Além disso, eles devem superar seu próprio desempenho conduzindo a investigação de causas subjacentes à realidade sempre de maneira detalhada e precisa. Mas além disso, o filósofo deve buscar a sabedoria, isto é, o que é verdadeiro, correto e útil para a comunidade. Leia mais… »

Uma origem africana da filosofia

A filosofia começa 2800 anos a.C. com pessoas de pele negra do Vale do Nilo, ou seja, 2200 anos antes do aparecimento de Tales de Mileto, considerado o primeiro filósofo ocidental. Nossos ancestrais 30.000 anos atrás separavam ocre vermelho de ferro em uma caverna da Suazilândia. Eles deveriam ter alguma ideia sobre aquilo que estavam fazendo. Devia haver alguma reflexão, algum processo pelo qual os anciões determinavam o que era para ser utilizado, para o que e em qual ocasião. Dessa forma, antes mesmo da escrita, temos evidências de que os africanos estavam engajados em discussões significativas sobre a natureza de seu ambiente. Leia mais… »

O que é Maat?

Encontramos em Maat ou Maa, a herança espiritual e ética do Antigo Kemet, um projeto  profundo de Humanitude (Ubuntu) de uma constante procura de harmonia e recuperação de equilíbrio  dentro de uma concepção inclusiva do mundo em que o passado, o presente e o futuro são inseparáveis.  Nesta orientação cosmogónica Kemética que abarca o universo inteiro, existe uma relação íntima entre todos os seres humanos, vivos, por nascer, ou já desaparecidos em harmonia com o cosmos seguindo os ciclos da vida e os ritmos circulares da natureza: a Vida antes do nascimento e a Vida depois da morte. Leia mais… »

Por que Kemet é tão importante para a espiritualidade da diáspora africana?

Conteúdo exclusivo para assinantes Afrokut Tenha acesso completo a todo conteúdo do Afrokut e ganhe Mimos Especiais! Além dos artigos originais do Afrokut, os assinantes terão acesso aos artigos inéditos, também às outras áreas: livros digitais, textos acadêmicos, infográficos entre outras novidades, como os “Mimos Especiais“. Sim, é isso mesmo que você leu! Os assinantes também Leia mais… »

O que são os Xamãs Keméticos?

Os  Xamãs Keméticos são geralmente indivíduos que usam a filosofia kemética como o núcleo de sua tradição espiritual e a combinam com influências de outros caminhos espirituais (geralmente crenças e práticas africanas tradicionais) porque Kemet é reconhecido como o berço da espiritualidade tradicional africana. Leia mais… »

O que são Reconstrucionistas keméticos?

O tema central na maioria das práticas dos Reconstrucionistas keméticos é a trindade: Asar (Osíris),  Aset (Isis) e Hru (Horus), que são vistos como a primeira e original trindade divina. De fato, a maioria dos Reconstrucionistas keméticos vê Hru (Heru, Hrw ou Hórus em grego) como o protótipo ou avatar original de Jesus que nasceu de nascimento virginal, identificado por uma estrela no leste, adornada por três reis. Leia mais… »

Auto-conhecimento em Kemet: Origem das Universidades

Desde a publicação dos trabalhos do polímata senegalês Cheikh Diop (1954; 1957; 1967; 1974; 1977; 1989; 1991) e do filósofo e linguista congolês Théophile Obenga (2006; 1990), que estudiosas e estudiosos ao redor do globo se lançaram em esforço coletivo para discutir a participação e a contribuição dos povos africanos para o estabelecimento da sociedade tal como conhecemos e com isso amplia a historiografia humana. Leia mais… »

O legado da Yoga Kemética

No Yoga Kemética, os ensinamentos espirituais do Kemet assumem uma luz inteiramente nova e, à medida que os ensinamentos são estudados da perspectiva do Yoga, torna-se evidente que a Filosofia Mística do Yoga foi aplicada pela primeira vez na África antiga e mais tarde surgiu na Índia, e de lá se  espalhou por todo mundo. Leia mais… »

11 maneiras esmagadora que mostram que os antigos povos da Kemet eram negros africanos

O doutor professor Asa Hilliard, importante egiptólogo, fala na palestra sobre as “Chaves Mestras”  da antiga Kemet, que agora é conhecida como Egito, de onze maneiras esmagadora que mostram que os antigos povos da Kemet eram negros africanos (resolvidos sob a supervisão da UNESCO). Leia mais… »

9 Chaves Mestras para compreender Kemet Antigo 

O dualismo na interpretação filosófica ou culturalmente é um fenômeno ocidental. (Exemplo, Kierkegaard: Ou isso ou aquilo). O padre era um cientista. Nenhuma separação entre uma pessoa que busca a verdade através de um meio e uma pessoa que busca através de outro. Nenhuma divisão entre ciência e religião, o sagrado e o secular. Leia mais… »